91992091829

NO AR

Transito Livre

Com Janayna Santos

Regional Pará

Pará lidera ranking de trabalho infantil no Norte. Veja como denunciar

Publicada em 13/06/24 às 08:23h - 7 visualizações

por Rádio Nativa FM 92.5 Irituia


Compartilhe
 

Link da Notícia:

 (Foto: Rádio Nativa FM 92.5 Irituia)

“O lugar de criança é na escola”. A máxima é repetida extensivamente em campanhas de conscientização e já está presente na cultura brasileira, especialmente neste 12 de junho, quando é celebrado o Dia Mundial do Combate ao Trabalho Infantil. Entretanto, a frase está longe de refletir a realidade do país.

Segundo dados do IBGE, em 2022 o Brasil somava 1,9 milhão de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos em situação de trabalho infantil. Desse total, 756 mil exerciam as piores formas de trabalho, que envolvem riscos de acidente ou são prejudiciais à saúde.

Essa problemática foi apresentada nesta quarta-feira (12), durante o Seminário Nacional “Infâncias Invisibilizadas: reflexões sociais e práticas institucionais”, que promove debates para mobilizar a sociedade em ações de enfrentamento e combate ao trabalho infantil, sobretudo em suas piores formas.

Durante o evento, foi evidenciada uma problemática bastante preocupante. Segundo os dados do IBGE/Pnad 2022, o Pará lidera o ranking de trabalho infantil na região Norte. Se em 2019 foram identificados 118.758 casos, este número apresentou um crescimento de 61% até 2022, com o Pará chegando a 190 mil crianças nesta situação.

Denuncie o trabalho infantil através da plataforma Super Catavento, lançada pelo TRT8. | Foto: divulgação

“A UNICEF já dizia que, no pós-pandemia, o número de trabalhadores infantis seria de 7 a 8 vezes maior. Essa atualização dos dados vem apenas confirmar o que já era previsto”, afirma a Dra. Vanilza Malcher, juíza do Trabalho do TRT8, que participa do evento nacional.

“Que a notícia sirva para estimular, cada vez, a todos que lutam contra essa mazela social, que tanto nos assombra, a fortalecerem suas ações; e ao poder público a estabelecer politicas públicas mais eficazes e urgentes visando a minimizar esse grave quadro no qual nos encontramos”, completou a juíza Vanilza Malcher.

 

Além dela, a desembargadora do Trabalho do TRT8, Dra. Zuíla Dutra, também participa do seminário, que comentou sobre os dados apresentados. “Recebi com muita tristeza, mas não surpresa, a elevação dos números do trabalho infantil no estado do Pará. Esse aumento é visível, a exemplo do trabalho nas ruas”, afirmou.

“Mais do que nunca se impõe a necessidade de incrementar políticas públicas que possibilitem a manutenção de crianças e adolescentes na escola, em período integral, como também estimular as empresas e instituições para que elevem o número de vagas para o programa jovem aprendiz, além de incentivo às pequenas empresas! Precisamos ter sempre presente que a infância é breve e não pode esperar”, afirmou a desembargadora.

 

CANAL DE DENÚNCIAS

Com o objetivo de ser um instrumento de combate e aumentar a visibilidade de defesa dos direitos das crianças e adolescentes, a Dinfa (Divisão da Infância) do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (Pará e Amapá) criou uma ferramenta de denúncias dentro do site do órgão voltado ao trabalho infantil.

A plataforma foi apresentada pela desembargadora do Trabalho Dra Zuíla Dutra; pelo analista de Tecnologia da Informação do TRT-8, Sandro Monteiro; e pela juíza do Trabalho Dra. Vanilza Malcher. | Foto celso Rodrigues/ Diário do Pará.

plataforma Super Catavento foi apresentada oficialmente durante o Seminário Nacional, já liberada para receber denúncias sobre trabalho infantil.

A Justiça do Trabalho criou a comissão nacional em julho de 2012 e as regionais em janeiro de 2014. O projeto já atendeu mais de 150 mil crianças e adolescentes em todo o Pará, e conta com cerca de 60 voluntários, além de uma rede de parceiros e apoiadores.

Para quem deseja se tornar um voluntário do projeto, basta acessar o site do TRT www.trt8.jus.br ou entrar em contato pelo telefone: (91) 40087228, e-mail: combateaotrabalhoinfantil@trt8.jus.br ou ir pessoalmente até o prédio do TRT8 no setor da Dinfa na TV. Dom Pedro I, 746 – no bairro do Umarizal em Belém.

 

Fonte: Diário do Pará/DOL




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








.

LIGUE E PARTICIPE

91 99209 -1829

Visitas: 244944
Usuários Online: 33
Copyright (c) 2024 - Rádio Nativa FM 92.5 Irituia
Converse conosco pelo Whatsapp!